ÚLTIMAS NOTÍCIAS / Meio Ambiente

Selo Clima Paraná é entregue a mais 11 empresas do Estado

Sexta-feira, 08 de abril de 2016


Onze empresas instaladas no Estado receberam nesta quinta-feira (7) a certificação do Selo Clima Paraná. Esta é a segunda entrega de selos às empresas que voluntariamente repassaram à Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos dados referentes à diminuição de gases de efeito estufa. Agora, são 19 empresas certificadas. 

Todas as contempladas em solenidade, em Curitiba, receberam a classificação Ouro, categoria para as empresas com inventários verificados por profissionais ou empresas creditadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). 

Receberam o Selo Ouro, a SLB do Brasil Projetos Florestais; IKP Agroflorestal; DAP Agroflorestal; Ficus Agroflorestal; Dunni Agroflorestal; Alba Agroflorestal; Grandis Agroflorestal; Saligna Agroflorestal; Água Clara Agroflorestal; Globolus Agroflorestal; Ipiranga Produtos de Petróleo, com as unidades de Londrina, Araucária, Guarapuava e Cascavel. 

Além de presidentes, diretores e técnicos das certificadas, também participaram da solenidade o secretário estadual do Meio Ambiente, Ricardo Soavinski e representantes do Fórum Estadual sobre Mudanças Climáticas. 

“O Grupo Ipiranga faz seu inventário de gases de efeito estufa em todo o Brasil há vários anos, mas o único Estado que além de ter um projeto nesta área ainda agracia as empresas que se comprometem, é o Paraná. No sentimos muito honrados com esse reconhecimento e faremos ainda mais para diminuir o efeito de CO2 no planeta”, afirma Vanderlei Santetti, gerente da Ipiranga, unidade Londrina. 

RESOLUÇÃO – Desde abril de 2015, quando foi lançado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, com o apoio da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), 22 empresas aderiram ao Registro Público Estadual de Emissões de Gases de Efeito Estufa. Dessas, 19 já foram certificadas com o Selo Clima Paraná, nas categorias Ouro, Prata e Pronze, que emitem juntas 1 milhão de toneladas de CO2 por ano, o que representa 5% das emissões da indústria paranaense. 

NOVIDADES – Durante a solenidade, o secretário Ricardo Soavinski assinou a nova Resolução sobre o Registro Público, que determina que os selos passam a ser Ouro Plus para empresas com redução de emissões comprovadas de 2,28% ao ano. Foi extinta a categoria bronze. Dessa forma, além do Ouro Plus, há o Selo Ouro, para empresas com inventários verificados por profissionais ou creditados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), e o Prata, categoria para empresas que tiverem seus inventários verificados por profissionais ou empresas habilitadas. 

“A questão das emissões de gases de efeito estufa é muito séria e, na prática, sentimos as consequências hoje. Temos mais tempestades, mais secas, mais fenômenos naturais de grandes proporções acontecendo e precisamos fazer alguma coisa. As ações de mitigação são recomendadas e o Governo do Estado tem vários programas pioneiros nessa área”, explica o secretário. 

Ele acrescenta que a entrega dos selos a 19 empresas em menos de um ano “reforça a tese de que a transparência das informações e a colaboração delas ajudará o Governo, seja ele estadual ou federal, a formular políticas e ações mais eficientes”. 

COMPENSAÇÃO – Uma das certificadas com o Selo Ouro foi a SLB do Brasil Projetos Florestais. A empresa, que é francesa e está no País desde 2008, aplica o conceito de implantação de florestas comerciais com critérios de desenvolvimento sustentável. 

“Acreditamos que as florestas têm um poder de compensação de carbono muito grande. Estarmos aqui é uma oportunidade de a Europa conhecer a compensação que é feita no Paraná”, disse o presidente do Grupo SLB, Stéphane Ledentu. “Estamos muito felizes em sermos certificados e vamos levar a ideia do projeto que é realizado aqui para fora do País”, destaca Ledentu. 

O Grupo desenvolveu um conceito de criação de florestas comerciais e ecológicas através do programa Brazil Forest Développement Durable. “Adquirir florestas é a solução para reduzir de forma significativa as emissões de carbono e, ao mesmo, tempo de obter um ativo econômico rentável”, completou Ledentu. 

Com sede na Normandia, região Norte da França, o Grupo atua no setor de atividades florestais há cerca de 25 anos. O Programa do Groupe SLB é denominado Brazil Forest Développement Durable, com uma estratégia voltada para a economia e ecologia, denominada ‘éconologique’. 

O SLB é o primeiro grupo francês certificado pelo Bureau Véritas para a metodologia de compensação carbono no Brasil. Esta certificação confirma a metodologia de cálculo do estoque de carbono absorvido pelos programas desenvolvidos pela Brazil Forest. 

As empresas que quiserem aderir ao Registro Público de Emissões de Gases do Efeito Estufa devem preencher o protocolo de intenções disponível no site da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (www.meioambiente.pr.gov.br). 

Fonte: AEN - Agência Estadual de Notícias

 Outras Notícias

Horário de Atendimento:

 Segunda a Sexta-Feira, das 07:30 às 11:30 - 13 horas às 17 horas.