ÚLTIMAS NOTÍCIAS / Economia

Paraná deve receber 18% do valor total destinado ao crédito rural

Quarta-feira, 06 de julho de 2016


O secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, participou nesta terça-feira (05) do lançamento do Plano Safra 2016/2017, na Superintendência do Banco do Brasil em Curitiba, que destinará R$ 185 bilhões de crédito aos produtores rurais brasileiros. O lançamento foi feito simultaneamente, em rede nacional, pelo Banco do Brasil em Brasília. 

O volume de crédito rural sofreu alteração. Em maio deste ano, o governo federal anunciou R$ 202,88 bilhões para o Plano Agrícola e Pecuário 2016/2017. No entanto, os recursos ficaram agora em R$ 185 bilhões. Isso é reflexo do redimensionamento da Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), que terá em torno de R$ 10 bilhões à taxa controlada de 12,75% ao ano. 

“Do valor total destinado ao crédito rural, em média 18% devem vir para o Paraná, que tem a maior carteira agrícola do Banco do Brasil no país”, destacou Ortigara. Na avaliação do secretario, os recursos são suficientes, considerando o momento de crise econômica. “É importante lembrar que o crédito seja bem planejado, com pé no chão, por parte do agricultor, pois vivemos um ambiente de inflação em elevação”. 

Com relação às perspectivas de plantio para a nova safra no Paraná, Ortigara destaca que deve haver um crescimento na área de soja, milho e feijão. “Do ponto de vista agronômico é preocupante o aumento da soja, mas entendemos a decisão do agricultor, que racionalmente vai optar pelo grão que está rendendo mais, que é o caso da soja”. Não deve haver alteração significativa em termos de área total a ser plantada na safra 2016/2017 no Paraná. 

BANCO DO BRASIL - Na abertura do lançamento, o presidente do Banco do Brasil, Paulo Cafarelli, disse que o banco financiará R$ 91 bilhões para produtores rurais e cooperativas. Deste total, R$ 71,1 bilhões referem-se a operações de custeio e comercialização e R$ 19,9 bilhões são para créditos de investimento agropecuário. Segundo Cafarelli, o banco é responsável por 61% do crédito agropecuário no país. Ele ressaltou a importância do setor para a retomada do crescimento econômico. 

De acordo com o secretário de Política Agrícola do Ministério, Neri Geller, a expectativa da nova safra é favorável. “O Brasil vai colher mais de 200 milhões de toneladas de grãos. As cotações no mercado internacional estão aquecidos, há previsão de preços remuneradores e os recursos programados são significativos.” 

AGRICULTURA FAMÍLIAR - O Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017 terá um volume recorde de crédito, R$ 30 bilhões. Segundo José Ricardo Ramos, da Secretaria Especial da Agricultura Familiar do Mapa, o valor é 40% maior do que o que foi investido no ano passado. Os agricultores familiares também contarão com juros ainda mais baixos para investir na produção. É o caso de quem cultiva alimentos que integram a cesta básica do brasileiro, como o arroz, o feijão, o milho e o leite. Para esses produtos, os juros de custeio recuaram de 5,5% para 2,5% ao ano. 

Produtos da agricultura familiar podem levar estampados nas embalagens a identificação que atesta a origem do que o consumidor está levando para casa. Criado em 2009 pelo Governo Federal, o Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (Sipaf) oferece visibilidade a empresas e empreendimentos que promovem a inclusão econômica e social dessas famílias. Atualmente, a identificação beneficia cerca de 110 mil agricultores familiares no Brasil. 

O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) financia projetos individuais ou coletivos, que geram renda aos agricultores familiares. O acesso a ele começa com a decisão da família em adquirir o crédito ¨C que pode ser destinado ao custeio da safra, atividade agroindustrial, investimento em máquinas, equipamentos ou infraestrutura de produção e serviços agropecuários ou não agropecuários. 

Fonte: AEN-PR

 Outras Notícias

Horário de Atendimento:

 Segunda a Sexta-Feira, das 07:30 às 11:30 - 13 horas às 17 horas.